Dicas

sábado, 30 de maio de 2009

Páginas em Branco




Por
Nazarethe Fonseca
Todos os direitos reservados à autora®

Estou tentando escrever o que sinto quando penso em você.
As palavras fogem,
Dentro do olhar eu posso te ver.
Mas as palavras não saem.

Abandono-me, você me toma inteira.
Eu sempre quis ser independente,
Em seus braços posso quebrar minhas promessas.
Tua boca já me faz gemer e sangrar.

Tuas mãos me roubam a paz,
Abandono-me e você me recolhe inteira.
Não importa quanto tempo leve,
Estou tentando escrever sobre você.
Resta achar a palavra exata,
E quando tenho você dentro de mim.
Espero mais um pouco para quebrar minhas promessas.

Resta escrever nas paginas em branco.
Teu nome, tua cor e sabor.
O sinto em minha pele e paladar.
E o tempo não desliza e nada muda,

Minha mão se move.

Esta em seus cabelos, sobre teu peito.

E tudo que queria era escrever.
Tirar sua presença de minha vida.
Esquecer sua passagem por meu corpo.
Eu posso quebrar promessas, mas não posso refazê-las
Em páginas em branco.
E quando me abandono você vem me salvar.

6 comentários:

Ivan Atun disse...

Gosto de ler o que vc escreve, e sei que tem mais pessoas que gostam, por isso espero fazer a mínima diferença.Eu sou um estranho, e vou continuar sendo, mais devo me apresentar, eu me chamo Ivan...e gosto de ler o que você escreve.

Rafael Guerra disse...

adorei essa poesia Nazarethe, escrever pra esquecer sendo que escrevemos o que lembramos, adorei.

Nazarethe Fonseca disse...

Prazer Ivan, fiquei a vontade.Escrevo com minha alma e sangue. Sua presença faz diferença volte sempre. beijos mordidos.

Bruna Toledo disse...

Mto bom, Naz.

;*

endjli disse...

Adorei! Quanto mais eu leio o que você escreve mais me fascino com seu trabalho.

Dom abençoado
Parabéns!

Camila L. Guimarães-Desenhos disse...

parabéns Nazarethe!
sou só mais uma dentre seus muitos fãs, mas tanto faz! nas suas estatísticas, eu vou estar lá! [risos]
enfim, cada poema seu é cheio da verdadeira sensação. Realmente muito bom!