Dicas

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Queda Livre.



por
Nazarethe Fonseca

Todos os direitos reservados a Autora®
Às vezes acho que estou em queda livre.
Tudo está bem depressa agora.
Eu ando sozinha por ruas desconhecidas,
Escutando os ruídos do mundo, vozes e gritos.

Eu quero permanecer.
Dentro de sua boca, onde tudo beira o paraíso.
Não posso fazer escolhas tolas.
Tudo que preciso é esperar.
Você virá, eu sei que sim;

Vamos!Não seja tolo, eu ando sozinha.
Meu mundo vive dentro de seu olhar.
Preciso de você quando o inverno chegar.
Eu quero esta abraçada a você.

Às vezes acho que estou em queda livre.
Eu ando sozinha por ruas desconhecidas,
Lembrando de noite estremas.
Do delírio e da febre do desejo.

Quando vai entender?
As flores morrem e deixam somente podridão.
Os espinhos nos farão sangrar e sofrer.
Abrace-me, não me deixe partir novamente.
Estou em queda livre e tudo é desejo.

2 comentários:

Rafael Guerra disse...

"Eu quero permanecer.
Dentro de sua boca, onde tudo beira o paraíso.
Não posso fazer escolhas tolas.
Tudo que preciso é esperar.
Você virá, eu sei que sim;"

lindo...

mais uma vez, só voce mesma consegue expressar esses sentimentos tão bem...

Bruna Toledo disse...

"As flores morrem e deixam somente podridão.
Os espinhos nos farão sangrar e sofrer."

Mas existe, rosas eternas ;*