Dicas

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Entendimento



Ele tem coração endurecido pela vida, por circunstâncias diversas a que sempre teve de enfrentar. Ele tem olhos doces, verdes, voz de anjo, inteligência de um sábio.
Eu o amo delicadamente, enquanto ele se debate. Sempre tem tanto o que fazer, é ocupadíssimo, o dia é pouco para ele. A noite é curta, o relógio curva-se diante de suas vontades.
Por vezes o vejo como uma máquina, trabalhando,trabalhando incansável. Forte, vigoroso, sim! Mas tão frágil e belo. Olhos de menino, voz de leão. Um grande leão de fogo.
Hoje não sei como o toquei como o fiz parar por alguns minutos a minha presença, será que realmente fiz? Acho que foi um milagre atravessar a muralha que ele construiu a volta dele.
Alta, intransponível! O fato é, que sou como a água e aos poucos me infiltrei pelas brechas e em suaves e doces gotas cai sobre seus lábios, seus olhos e o refresquei por breves minutos. Mas ele rapidamente me fez evaporar e flutuar enquanto me respirava lentamente e me expulsava de seus pulmões num sopro lento e morno.
Estamos longe, muito longe. Mas estranhamente ao alcance de nossos dedos. Aconteceram tantas coisas boas e ruins, péssimas e maravilhosas. Eu o ouvi sorrir e reclamar, afirmar-se vitorioso em suas realizações.Ele sorriu e eu guardei o som na memória do coração.

2 comentários:

Bruna Toledo disse...

"Ele sorriu e eu guardei o som na memória do coração". Juro que um dia ainda vou sentir isso!

Rafael Guerra disse...

nossa... perfeito... muito bonito mesmo...
amar alguem que constroe uma muralha em volta de si...
profundo...