Dicas

sábado, 18 de outubro de 2008

Mude agora!



Incrível! O ser humano não muda. As coisas se repetem e nem sempre são as boas. Hoje percebi que todos só falavam da mesma coisa, um terrível seqüestro que se desenrolou durante toda a semana e terminou tragicamente para os reféns envolvidos.
Todos os canais abertos deram cobertura, mil e uma explicação. Analisei, ouvi tudo uma só vez e compreendi algo que me deixou chateada.
Não havia uma solução. A família de Eloá deve está completamente em choque e sofrendo.
Para nós resta pouco a fazer, talvez por isso tamanha indignação e pesar. Somos impotentes, não conseguimos resolver. Imagine os polícias como se sentem frustrados? Se invadirem está errado, se ficam a espera pior ainda.
Seqüestros são no geral uma tática extrema de força e violência e os resultados são sempre os piores. Ouvi pessoas dizendo que a polícia deveria ter atirado para matar. Não concordo. Ele deve pagar por seus crimes, morte é uma pena leve para qualquer infrator da lei. Claro, nosso sistema penal é precário, mas o que não é no Brasil? Quase tudo nesse país de brinquedo. O insólito acontece por aqui.
Estamos evoluindo a passos muito lentos, mas a verdade é só uma, a violência cresceu, a justiça continua lenta e burocrática, os métodos de julgamento e manutenção da lei, ineficazes. Em muitos casos o inocente paga pelo culpado, as saídas legais são muitas e a justiça continua vendada. Segurando uma espada que fere sem vê e julga sem peso ao medida.
Sinto pela morte da jovem Eloá, realmente jovem, apenas 15 anos. O assassino tem 22 anos e segundo testemunhas um histórico de agressão.
Tudo começa muito cedo hoje em dia. Sei que é um conceito antigo, mas me pergunto se uma jovem de 15 anos tem condições de discernir bem a respeito de um relacionamento sexual, emocional. Eu acho que não. Falta maturidade, vivência para conseguir perceber se ao seu lado está um assassino. Alguém que incapaz de resolver seus problemas, incapaz de aceitar o fim de um relacionamento busca a resposta na violência.
Claro, isso acontece com mulheres em todas as idades, em muitos lugares no mundo.
Esta é minha opinião, se resguardar ainda é o melhor.
Temos um histórico ruim no Brasil de seqüestros, mas hoje nós perdoemos e cobremos justiça.E que por favor ela não seja branda.

Um comentário:

Bruna Toledo disse...

Eu já desisti de me escandalizar com a "falta" de justiça brasileira.
Depois do caso da Isabella e do Helio eu simplesmente liguei o "off-line" e ele permanece acionado. Percebi que gritar e espernear não vai adiantar muita coisa. A gente tem tantos problemas, mas sempre tem alguém que tem problemas piores do que os nossos.
A compaixão e solidariedade são bem recebidas nessas horas, mas a verdade é que, além dos sentimentos dos sobreviventes, elas não mudam muita coisa pros assassinados.
As vezes eu me tranco no meu quarto e me sinto em uma outra dimensão, onde meu mp4 toca tão alto que eu não ouço mais nada além da música. Então eu abro Alma e Sangue, ou um dos livros da série "A Mediadora" (são 6, da autora Meg Cabot), ou José de Alencar e suas musas. Aí ei entro em um mundo que no fim, tudo tem solução.

Acho que é melhor assim.
;*